Thursday, January 19, 2006

Quarta feira com amigos

Estou começando a achar que eu sou a Carrie Bradshaw, só que dez quilos mais gorda e com menos dinheiro que ela. É que, apesar de estar namorandinho e tudo e tal, me vejo fácil com trinta e poucos, solteira e saindo à noite todos os dias, com amigas igualmente solteiras e com mais de trinta.

Mas enquanto os trinta e tal não chegam, eu continuo levando a vidinha de sempre... à noite. Ontem resolvi praticar um exercício que se chama "sair sem o namorado". Não foi nada planejado, mas acabou surgindo uma festa de rock com amigos dos tempos da escola, e eu vi uma boa oportunidade de colocar o meu exercício em prática. É que tenho uma tendência muito grande a ter "preguiça" de sair sem namorado, o que é realmente ridículo e condenável para alguém que, como eu, possui uma enorme agenda de telefones.

E lá fomos nós para Copacabana fingir que somos adolescente. Uma coisa que eu adoro em festas de rock é que posso exorcizar muitos fantasmas e raivinhas inúteis cantando alto as músicas que embalam minhas madrugadas desde que eu me entendo por pessoa freqüentável de boates. As músicas são basicamente as mesmas, apesar da nova geração que, a cada ano, comparece às noites dos inferninhos. E isso me deixa feliz.

Tanited love é bom de cantar alto. Candy é bom de cantar alto, principalmente na parte da Kate Pierson. Cannonball, Bull in the heather, Enjoy the silence... Todas as queridas musiquinhas da minha jukebox noturna são bem vindas quando eu preciso exorcizar.

E, deus, estava precisando de expulsar essa coisa ruim do meu corpo. Andei meio possuída por esses dias, mas agora estou novinha em folha, só um pouco cansada demais pra sair hoje, em plena véspera de feriado no Rio, cheia de promessas de festas imperdíveis. Estou cansada, precisando dar um relax, mas, adivinha? É óbvio que isso não vai acontecer.
Que praga.

1 comment:

Baxt said...

Que bom que você não tem nada a ver com a Carrie Bradshaw! Para mim, ela é o modelo de chata-que-merece-ficar-encalhada...