Tuesday, May 06, 2008

On the road

Gosto de tomar decisões súbitas sobre viagens e afins. De repente, me dá uma vontade de encher o tanque do carro, comprar um saco de Fandangos sabor presunto e uma latinha de iced tea e mandar ver na estrada. Tudo bem, era muito mais legal quando eu fazia isso antes de roubarem o rádio do carro. Mas eu ainda tenho o meu iPod - god bless its soul - e um cartão de crédito sempre à beira do precipício, mas que nunca pulou de verdade. O resto é achar uma pousada que caiba no meu parco orçamento cansado de gastar com tanta ponte aérea.

O Japanimation é como eu, meio ligado a uma aventura. Só que muito mais cauteloso: ele pesquisa preços, pondera sobre a melhor época, faz cálculos inimagináveis pra mim, que vivo na indecisão entre ser uma perdulária total ou encarar o quão careta é o meu posicionamento em relação à grana. Tanto que nunca na vida entrei no cheque especial.

E essa nossa história de gostar de viajar com mochila nas costas encontrou reforço quando passamos um mês só assistindo road movies. Sem brincadeira, foram uns três seguidos: o ganhador do Oscar "Onde os Fracos Não Têm Vez", aquele outro que é bizarro mas também é lindo "Na Natureza Selvagem" e, finalmente, "The Darjeeling Limited", que é bom demais. E todos esses filmes (pricipalmente o "Na Natureza Selvagem") me deixaram com coceira pra tirar trinta dias de férias, encher a mala do Palio 1000 e seguir para o Nordeste. Ou pro Centro. Ou pro Sul.

Planejamos pegar o carro até o sul da Bahia e ficar por lá durante uma semana. Outra opção é a Chapada dos Veadeiros, menos hypada que a de Diamantina, mas tão bonita quanto ela. Ou seguir pra Floripa, ver as baleias e os golfinhos e todas aquelas praias de águas muito claras que eu nunca dei sorte de encontrar. A gente planeja o tempo inteiro e, quem sabe, um dia a gente realiza o que a gente sonha.

Uma vez só conseguimos fazer uma coisa assim, de pegar as malas, jogar no carro e ir embora. Foi quando conhecemos Ilha Grande, uma das melhores viagens de todos os tempos.
Mas como eu nunca estou satisfeita, quero mais. Quero lugares novos. Quero mais caminhadas. E quero gastar toda essa energia acumulada no vai e vem casa-trabalho-casa.

1 comment:

Baxt said...

Haaaaa, coincidência! Eu e o meu japa acabamos de decidir que vamos conquistar a Europa (ou a Inglaterra, vá lá) de bicicleta! É o nosso mais novo surto, já estamos pesquisando para comprar as danadas e começar nossa nova vida!

Vamos ver que bicho vai dar...