Thursday, February 07, 2008

Mixed Feelings em relação ao carnaval

Primeiro momento: Eu odeio carnaval

O Japanimation adora carnaval. Eu, por definição, odeio. Eis aí o primeiro impasse do namoro.
Como boa namorada, resolvi acompanhar um bloco pra ver como é, e para calar a boca de todos os meus amigos que não cansam de gritar: "Se não conhece, como é que sabe que não gosta?". Fui estrear o carnaval 2008 no Empolga às 9, bloco que sai em Botafogo e que é conhecido como "bloco família".
E eu protagonizei um faniquito. Estava um calor abafado, e os amigos do Japanimation estavam na frente do bloco, enquanto que nós estávamos atrás. A idéia de cruzar os músicos foi a pior de todos os tempos: ficamos parados, encurralados por uma multidão de folioes que pareciam não se importar com muita gente e muito calor. Tava todo mundo feliz à minha volta, menos eu. Cansada de tentar alcançar uma esquina que nunca, mas nunca mesmo, eu chegava, falei pro pobre do meu namorado: Eu quero sair daqui agora!
Eu estava a um milésimo de segundo de sair chutando velhos, crianças e demais seres humanos, e precisava de ar não carnavalesco para respirar. Chegamos ao final da rua, o bloco seguiu em frente e a gente virou à direita, no exato momento em que eu direcionava meu chute pras canelas alheias. Demos sorte.

Segundo momento: Eu adoro carnaval

No segundo dia, fui fantasiada de Borboleta Mal-humorada para o bloco que todos os meus amigos adoram, o Boi Tolo. E dessa vez eu gostei. Estava chovendo, como em todos os dias desse carnaval carioca, mas eu achei uma delícia ficar me aliviando do calor de fevereiro no meio das ruas do Rio antigo. Fiz filminhos alegres do povo cantando "Olha a cabeleira do Zezé", todo mundo muito fantasiado e colorido.
Quando o bloco chegou ao Palácio Tiradentes, ponto final da andança, encontrei os tais amigos que são carnavalescos, e um deles (o Mauro, que fique registrado), ao me ver, nem oi disse, partiu logo pro berro: "Admite que é muito bom! Vai, admite!"
E eu admiti.
De lá, seguimos para o Boitatá, e como eu estava de bom humor e levemente de pilequinho, dancei, cantei, sambei, pulei, e fiz todas essas coisas que fazem as pessoas que não se incomodam com o carnaval.

Terceiro momento: Eu adoro carnaval. Mas só o que rola no centro do Rio

Da Praça XV, onde rolava o Boitatá, seguimos para o Jardim Botânico, onde teria o Bangalafumenga. Here we go. No caminho, deixei em casa uma amiga que vomitava intermitentemente (quem pula carnaval não almoça, só bebe muitos tipos de bebidas diferentes, o que resulta em ressacas homéricas e, aqui e ali, Rauls pelos cantos da cidade).
Chegando no Jardim Botânico, ofereci minhas asas de borboleta ao deus do carnaval, desovando as companheiras em cima de um capô de carro, onde, com certeza, encontrariam um novo dono muito mais interessado nelas.
Depois, tudo começou a ficar muito confuso: não paravam de chegar pessoas e mais pessoas, o clima estava de muvuca e eu quis sair daquele lugar o mais rápido possível. Pedi peloamordedeus vambora, e a gente foi, mas eu já estava com a alma lavada de ter participado um pouco do carnaval do Rio. E ficava repetindo a musiquinha que os meus companheiros de folia entoaram na escadaria do Palácio Tiradentes: "O Rio é melhor que Salvador..."
Os baianos que me desculpem, mas é verdade.

2 comments:

Renata - Made In said...

Saudades!
japaanimatrix?
bjs

Massashi Hosono said...

Nossa... o apelido tem vida própria agora. rsrsrs ;)