Tuesday, February 26, 2008

Tudo muda depois dos 30

Não fumo há cinco dias. Todo manhã acordo e faço um X no calendário referente ao dia anterior. Para quem nunca fumou, a conquista de 24h sem nicotina é risível; para quem é ex-fumante, ou ainda se delicia com o bastãozinho, essa marca é digna de nota. Afinal, passei por um sábado à noite com vodca e festinhas sem me deixar levar pela tentação do traguinho noturno. Aquele traguinho que estraga o trabalho de uma semana, sabe como é?

Pois então, agora que estou tentando entrar pro time dos não-fumantes, tenho muito medo de engordar. Muito mesmo. Me encho de litros e litros de água, mas a vontade é cair no chocolate. Que substituição bizarra essa, de nicotina por doce. Queria muito saber se só eu tenho essa loucura, ou se é uma mania conhecida de gente que está deixando de lado os cigarros. E aí, na mesma proporção em que me preocupo com o peso, engordo. Ou melhor: em sinto mais gorda.

O lance é que as coisas definitivamente não são como antes. Quando era mais nova, eu comia doces à vontade. Tudo bem, nunca fui daquelas que tinham corpinho de modelo, ou que eram saradas. Mas também nunca tive muitos quilos extras. Era uma extensão aturável, digamos assim.

De uns tempos pra cá, perder peso tornou-se uma odisséia. Eu tento fechar a boca, mas nada de ver resultado... Só emagreço mesmo quando estou trabalhando loucamente, ou quando estou triste. Aí é incrível: perco a fome totalmente, e só de olhar pra comida já fico enjoada. Tenho algumas amigas que passam pelo mesmo sintoma, e é de uma delas a melhor frase de emagrecimento que eu já ouvi: "Eu gosto de ter o peso de quando estou deprimida."

Pra completar, outro dia fui a uma entrevista de emprego e estava cara a cara com a mocinha do RH. Digo mocinha do RH porque ela era bem novinha, mas devia ter seus trinta e poucos. Mas tinha cara de menina - as roupas é que diziam em que casa decimal sua idade se encontrava. Anyway, ela disse que eu estava diferente da foto do currículo. É que o meu CV tem uma foto que tirei em Jericoacoara, ainda de cabelo comprido, sorriso de quem está de férias no Ceará e, claro, vinte e seis aninhos de praia.

Expliquei pra mocinha do RH o contexto em que aquela foto havia sido tirada e concluí com: "... e eu tinha uns 26 anos na época, agora tenho 30".
Ela me olhou com uma expressão de quem sabe do que eu estou falando. E completou, entre suspiros: "Tudo muda depois dos 30, minha filha".

Até para balzaquianas que são praticamente adolescentes, imagino...

4 comments:

Baxt said...

Pois eh, emagrecer era tao facil... Era so cortar doces, beliscos fora de hora e demais extras durante a semana (soh durante a semana) e eu perdia uns quilinhos.

Hahaha, agora eh uma odisseia, depois de alguns quilos a balanca nao desce mais nem com reza brava. E ai eu comeco a entender aquelas deseperadas que tomam remedios, bolinhas e coisas malevolas do genero...

O meu corpo ta mudando tambem... esse negocio de ficar velha eh esquisito. Mas eh bom a gente acostumar, porque como disse a MIchele Pfeiffer, envelhecer eh melhor que a alternativa!

PlufT PlafT Zoom said...

Sabe tenho uma p*** dificuldade para perder peso...e tenho 17 anos.

Prefiro nem pensar nos 30!

Mas magras ou gordas, convenhamos, já somos lindas por sermos mulheres!

Beijo guria!

Anonymous said...

será que esse texto pode ser traduzido automaticamente para o sirílico?

Anonymous said...

Parabéns por tentar parar de fumar :)