Wednesday, August 22, 2007

O vinho nosso de cada dia

Quando eu era pequena, lembro do meu pai chegando do trabalho e se servindo de uma dose de whisky. Ele se sentava no sofá da sala e ficava rodando as pedras de gelo. Eu achava aquilo o máximo, pedia pra rodar as pedras de gelo também, e depois chupava o dedo sujo de bebida. Vai ver vem daí o meu gosto por destilados.

Anos depois, ouvia dos meus amigos maconheiros a grande justificativa do beck diário: "não tem gente que gosta de tomar um whiskynho em casa pra desestressar? Pois então, eu gosto de fumar um". Eu achava que aquilo fazia todo sentido do mundo, apesar do meu gosto estar muito distante do baseado pós-escola/trabalho.

Na verdade, quando eu quero desestressar, ligo pra cerca de 30 amigos e marco um chope no bar mais próximo (no qual uns dois comparecem). Mas ontem eu estava com uma garrafa de vinho aberta na geladeira, e pensei: "se eu não beber esse vinho logo, ele vai estragar". Saquei a taça do armário e me servi do primeiro copo.

O primeiro copo é ótimo. Realmente caiu bem junto com o meu jantar, um sanduíche feito no gril com queijo minas curado. Sentei no computador e fiquei papeando no MSN, falando abobrinhas pra passar a vida, a tempo de me servir do segundo copo.

Daí comecei a ficar de pilequinho. Bem de leve. Falando um monte de besteiras no messenger, fumando cigarros e cigarros e me achando muito, mas muito adulta. Tem coisa mais madura que beber um vinhozinho de noite, depois do trabalho? Aliás, tem coisa mais balzaquiana?

Quando deitei, dormi como um bebê. E hoje, penso no resto de vinho que ficou na geladeira. Provavelmente, duas taças vão me fazer a alegria novamente.
Cuidado se você me conhece e eu estiver no msn. Posso falar muita besteira com apenas duas taças de vinho tinto seco.

4 comments:

Gabriela said...

nossa, esse pilequinho básico é um espetáculo mesmo :)

danielog said...

e aí bruna,
eu não faço mais isso, minha primeira experiencia de beber sozinho em casa resultou em acordar com pedaços de batata enroscados no cabelo. traumatizei... hahaha
beijão

Baxt said...

ih, isso ja aconteceu varias vezes comigo... vinho e messenger sempre rendem boas bobagens

Luiza said...

eu pequena fazia o mesmo no uisque do meu pai.. rodava com o dedo os cubinhos de gelo (que, diga-se de passagem, vinham da fábrica dele!! pioneiro!!!)

curte adulta!!!!