Tuesday, July 10, 2007

Sonhos, de novo

Ontem assisti na TNT Abre los Ojos, versão original de Vanilla Sky. Eu só tinha ouvido falar desse filme, e estava achando tudo muito igual ao americano até que me deparei com a cena final. A cena final, que deve durar uns 3 segundos, é meio sinistra - taí uma diferença pra versão americana. Se bem que faz tanto tempo que não vejo Vanilla Sky que não tenho tanta certeza se há mesmo diferença.

Ah, sim, outra coisa é que a Penelope Cruz mostra os peitos no filme espanhol. Não tinha isso no filme hollywwodiano, tinha?
Bom, nevermind.

Esse filme é cruel. Eu passo mal com a história do playboy desfigurado que depois fica refém das armadilhas da sua mente. Impossível não comparar um pouquinho com Brilho Eterno, que também tem a ver com a terra dos sonhos (nesse caso, do esquecimento de uma realidade ruim), e que também dá errado. Assim como Abre los Ojos, Brilho Eterno também tem um pseudo final feliz: há esperança no caso, mas a gente sabe, bem lá no fundo, que aquilo não vai dar certo.

Eu entendo isso. Eu também agiria assim. Perdi a conta de quantas vezes ignorei a furada em que estava me metendo, sabendo perfeitamente que a longo prazo aquilo ia desaguar no mar, e mesmo assim meti as caras. O prazer do momento é sempre mais importante que a desilusão futura.

E aí, lembrei de outro filme. Todos os filmes do mundo. Mas esse eu preciso rever com urgência, porque só vi uma vez, e é o tipo de cinema que tem que ser visto over and over: Solaris. Pelo que me lembro, o homem optava por viver em sonho. Por viver uma realidade de fantasia, que só poderia existir no mundo extraterrestre de Solaris.

Mas e daí? Ele era feliz ali. O impossível era possível. Eu faria como ele.
Se me perguntassem: "você sabe que isso não é real, não é?", eu também responderia: "Não me importo".
A realidade nem é tão importante assim. A gente mente o tempo inteiro pros outros e pra nós mesmos, chegando ao ponto de acreditar nessa mentira. Realidade é construída de acordo com o que cada um quer. Estou cada vez mais convencida de que não existe verdade absoluta em nada.
Só o que a gente inventa.

1 comment:

Gabriela said...

Vou voltarrrrrrrr.
Saudades babe.
beijocas