Wednesday, January 23, 2008

'I hope you die with cancer'

Um dia uma pessoa disse isso pra mim. Eu estava em pé em frente a um restaurante de NY, esperando que o gerente chegasse para me entrevistar para a vaga de hostess. Cheguei muito cedo - mega cedo, lá pelas 7h - e fiquei na porta do estabelecimento fazendo hora, enquanto alguns homens descarregavam verduras e legumes que seriam cozinhados durante o dia.

Como toda fumante que se preza, acendi um cigarro para passar o tempo. E, entre uma tragada e outra, veio uma velhinha de uns 110 anos, parou na minha frente e soltou a praga: "Espero que você morra de câncer".

A princípio, não etendi o que ela quis dizer. Eu tenho esse bloqueio de entender inglês de velhinhos e crianças. Eles falam em uma entonação diferente, eu acho. Olhei com cara de quem boiou no assunto, e o cara que descarregava os legumes (e que também estava fumando), respondeu por mim: "That's very nice of you, ma'am". E então me explicou o que ela tinha dito.

Eu fiquei pensando o que leva alguém a dizer uma frase desse naipe a outra pessoa. Será que ela perdeu um ente querido por causa de câncer de pulmão? Será que ela mesma estava morrendo disso? Ou então, será que ela era totalmente e absolutamente antitabagista, a ponto de ser terrorista, de querer colocar bombas nas indústrias de tabaco? Quanto mais eu buscava uma explicação, mais eu ficava sem justificativas para uma frase tão cruel. É crueldade desejar a morte de alguém, quanto mais de câncer de pulmão.

De vez em quando eu lembro da velhinha me rogando a praga de morte. E, ainda hoje, busco a razão de ela ter me escolhido para fazer jorrar toda a sua raiva. Não se trata de ter medo de que a frase dela um dia irá se concretizar. O que acontece é que o ser humano consegue despertar em mim os diversos sentimentos. No caso da velha, uma mistura de pena e de surpresa.

2 comments:

Baxt said...

Nossa!

Quando comecei a ler, achei que vc tivesse feito alguma coisa muito feia com alguem e despertado os piores sentimentos dessa pessoa.

Eu entendo desejar que alguem muito escroto morra de cancer. Mas nao entendi essa tambem.

Se alguem estivesse fumando dentro do elevador comigo, ou na cara de alguma crianca ou algo assim, ainda vai. Mas ao ar livre? Vc e seu pulmao? E a fumaca?

Eh problema de vcs!

Eu hein...

danielog said...

eu acho que o que a velhinha precisava era de um bom e velho (roliço) penis...
minha visão do incidente...