Friday, June 06, 2008

Lutas de espada sem sangue

Fui assistir "Crônicas de Nárnia: o Príncipe Caspian", porque assumo mesmo que adoro filminhos em ambientação medieval, com magia, castelos, príncipes, princesas e lutas com espadas. São resquícios dos meus tempos de jogadora de RPG, em que minha personagem, Ayla, era uma feiticeira mediana e uma péssima atiradora de funda. E mesmo assim eu me divertia, vejam só. Daí eu não nego essas sagas, mesmo que elas sejam produzidas para um público algumas décadas mais novo que eu, como foi o caso deste segundo filme sobre Nárnia.

Não me importo com narrativas infantis, mas dessa vez confesso que perdi um pouco da minha paciência habitual. Não sei se foi a menina que interpreta a Lucy que, de tanto que se leva a sério, parece até uma daquelas crianças do programa Raul Gil. Ou se foi o climinha forçosamente criado entre o príncipe Caspian e a Susan. Ou, ainda, se foram as lutas de espada em que não se via sangue.

Depois que percebi que as mortes por espada eram as mais limpas da história do cinema - tanto que as lâminas não apresentavam nem um resquício de líquido vermelho depois que eram retiradas dos corpos dos inimigos - fiquei absolutamente obcecada pela maneira como os guerreiros morriam no filme. Alguns tinham a garganta cortada, mas o plano era feito pelas costas da vítima, de modo a não mostrar o ferimento de frente. Outros levavam flechadas ou eram esmagados por pedras das catapultas. Nenhuma morte era suja, e nem a noção de que isso acontecia para preservar a classificação livre do filme aplacava o meu incômodo.

Acho que fiquei tão incomodada porque esse episódio de Nárnia apresenta muito mais lutas que o primeiro, quando eles descobrem o mundo mágico. Nas 2h20 de história, tudo era luta, guerra, conquista. Como no segundo Senhor dos Anéis, mas mirando em uma faixa etária muito menor.

Queria saber se outras pessoas perceberam a ausência de sangue nas lâminas das espadas. E queria saber, mais ainda, se só eu me incomodei com isso. Mas, apesar de todas as minhas reclamações, foi bem divertido ir ao cinema na quarta pra ver Crônicas de Nárnia. Comprei um pacote de pipoca e um copo de mate com limão e me deixei levar pela história dos cinco pentelhinhos ingleses. Porque todo mundo sabe que eles são pentelhos, certo? Ou eu estou implicando de novo?

1 comment:

Baxt said...

Cara, essas mortes sem sangue que vc descreveu me pareceram infinitamente mais assustadoras. Porque quando uma crianca aprende que mortes sao coisas limpas e indolores, sem sangue, visceras e principalmente, sem sujar as maos do assassino, o mundo fica um pouquinho pior.