Wednesday, February 15, 2006

Stones: um programa Funai

Tudo bem, concordo que o show dos Rolling Stones na praia de Copacabana tem todas as características de programa de índio. Mas eu simplesmente não consigo me convencer de que ficar em casa e assistir pela televisão será melhor do que ver os caras ao vivo. A quilômetros de distância, é verdade - mas ainda assim, ao vivo.

Na primeira vez em que os Stones tocaram no Brasil, eu fui assistir no Maracanã. Era uma pirralha de 18 aninhos (ou menos, não lembro bem...), e achava aquilo tudo inacreditável demais. Eu não havia visto nenhum dos megashows que mudaram vidas até o momento - Paul MacCartney, Rock in Rio I, etc... - então aquilo era o supra sumo pra mim.

Na segunda apresentação da banda no país, deixei de ir ao evento porque achava que ver os Stones uma vez já bastava. Mas que nada: a verdade era que eu não tinha amigos que me acompanhassem ao show, fora aqueles que iriam com um ex que recentemente havia me dado um belo de um pé na bunda, e com quem eu não queria nenhum contato. E então, adeus Rolling Stones na Apoteose.

E agora eles inventam essa história de show de graça em Copacabana. Como um ser humano elitista e pré-balzaquiano, eu pagaria a fortuna que fosse para ver os vovôs com (um poquinho mais de) conforto, visão parcialmente garantida, som teoricamente louvável e companhia provavelmente muito melhor. Essa história de RS na praia virou a boa do fim de semana, o que não me deixa dúvidas de que a galera vai pra lá só porque não tem mais o que fazer mesmo.

Mas como eu sei que, mesmo com todos os contras, eu vou me enfiar no meio da multidão no dia do show, minha carteirinha da Funai já está separada, junto com os bilhetes especiais de metrô. Só vou rezar pra que não chova.

2 comments:

maybe said...

aaaaaf... boa sorte! :P
Eu não iria mesmo se estivesse aqui no Rio nesse finde.
Podem me bater!

Baxt said...

Vc vaaaai? Nossa. Eu vou ficar em casa, ouvindo mp3 dos Beatles. Ou então vou aos lugares que vão ficar vazios, como o cinema.