Wednesday, February 08, 2006

Repetitivamente ex-fumante

Tem dias que são assim mesmo, que a gente acorda achando que não faz parte de nenhum círculo social, ou então que a gente simplesmente não tem saco de encarar o círculo social o qual somos obrigados a integrar, entende? Hoje eu vim pra cá meio cansada de uma noite mal dormida e incomodada, com um pouquinho de vontade de chorar (mas isso é normal, essa vontade de chorar, até quando eu estou vendo comercial de pizza me vem um sentimento, assim, de sopetão, e eu já cheguei à conclusão de que toda vez que eu sinto de verdade, seja bom ou seja ruim, as lágrimas me vêm aos olhos), mas incrivelmente impaciente para small talk e fofoquinhas e universos pequenos, que é onde, infelizmente, passo meus dias enfurnada, de 9h às 17h.

Outras vezes eu penso 'e daí?', e realmente não ligo a mínima para as pautas desinteressantes do resto da humanidade. Caramba, eu penso, isso deve ser falta de trabalho. Falta de encostar a barriga no tanque e lavar uma trouxa enorme de roupa e ariar uma panela sem teflon. Tudo bem, eu nunca fiz nada disso, graças a deus papai trabalhou bastante e proviu minha vida com uma infinidade de panelas teflon que eu nunca precisei ariar, mas eu garanto que ocupo a minha mente com problemas mais importantes que os do vizinho - ou seja, os meus próprios. E quando eu estou muito assim sem jeito com o resto do mundo é porque não tenho mesmo o que fazer, é porque estou de bobeira no trabalho esperando que uma nova torrente de obrigações caia em cima de mim. São bem vindas, eu juro! Se tem uma coisa que eu adoro é trabalhar que nem louca, dez, onze horas por dia, vendo as coisas se realizando, se construindo, erguendo-se tijolo por tijolo na minha frente.

Caramba. Como eu queria um cigarro agora.

3 comments:

maybe said...

Ih... estou percebendo que o tédio é coletivo. Ahahaha, ainda mais no trabalho. Tem dias que é assim mesmo, acordamos sentindo muita preguiça. Sobre o marido rico compatível com a minha genialidade... hahaha... esqueça. Isso é impossível, homens ricos não me agradam e vice versa. Tenho a teoria que homens ricos gostam de meninas muito novas, lindíssimas e tontas. Não me enquadro nesse perfil! Até mais tarde! Beijos.

Gabriela said...

Eu também adoro dias mega pesados de ralação até sabe se lá que horas. Desde que o trabalho seja legal. O que em alguns anos vai se tornar pra mim.
Eu também tenho esses sentimentos de lágrimas por intensidade. Achei que era a única maluca :)
Que bom que não.

Juliane said...

Oi Bruna! Adorei esse post, aliás ha tempos não lia o seu blog e hj em plena fuga de um trabalho tedioso, dei de cara com esse post mto bom! E sim, é cmplicado lidar com o dia-a-dia cheio de pequenas conversas enqto dentro da nossa cabeça mil coisas + importantes tão passando... E sim mais um vez, tem vários dias q a gente acorda achando q não faz parte de nenhum círculo social...Como eu, agora! rs. Bjos se cuida! Saudades! ;)