Thursday, June 21, 2007

Aplauso ao chope

Foi uma combinação entre amigos: vamos sempre aplaudir o primeiro chope, e talvez o último também. A idéia surgiu depois de um pôr-do-sol no Posto 9, em que um amigo que queria ser hippie - mas não é - insistiu naquele ritual bizarro da praia de Ipanema. Seguiu à risca a juventude dourada e se pôs a bater palmas pro horizonte. E eu, ao lado dele, horrorizei.

Mas aplaudir o primeiro chope é muito diferente. Eu e o amigo não hippie tentamos parar no Jobi, domingo à noite. Tudo cheio. Fomos pro Conversa Fiada, comemos um pouquinho, mas estava realmente desanimado por lá. E terminamos no Belmont do Leblon dando uma salva de palmas pra tulipa à nossa frente.

As outras (poucas) pessoas no bar nos observaram sem entender. E ninguém nos acompanhou. Pra falar a verdade, nem senti falta dos outros, porque já tem gente demais indo com as outras no pôr-do-sol de Ipanema. O ritual do chope é só meu e do meu amigo, que é uma das poucas pessoas que entende exatamente as minhas piadas. Eu diria até que ele é a minha alma-gêmea do humor, a ponto de nós deixarmos de lado outros acompanhantes, estabelecendo um papo reto que ninguém mais entende. Às vezes me sinto culpada, mas depois a culpa passa. Adoro não ter culpa de nada.

1 comment:

Baxt said...

Acabei de ler o post pro Hiro e ele adorou! So nao sei se faz muito sentido aplaudir o primeiro pint. Sei la, hippices de ipanema por aqui? Hm, vou pensar no assunto de depois te conto se tivemos coragem de aplaudir a primeira ale da noite!