Monday, December 04, 2006

Fonte da Vida

Vai embora. Tira a bunda dessa cadeira pra colocar delicadamente suas nádegas sobre outra. Feche-se numa sala escura, sozinho, desligue o celular e mande calar a boca quem tiver a ousadia de se comunicar com o mundo exterior. Leve um casaco, mesmo estando quente. Ou então assuma o gelado e agüente firme até o final. Mas sai daqui. Agora. É obrigação. Ler blogs, que porra é essa, quem é essa gente que entra aqui? Quem é essa gente que procura meu nome no Google, ou que vasculha o meu perfil ridiculamente construído no Orkut e fica tão interessado no que lê que segue o link pra cá. E ainda há piores, aqueles que sabem de cor o endereço da página e acertam em direct hit todas essas linhas que, não, não são nada, nada demais. Vai embora, vai procurar o que fazer, vai saber a verdade da morte, a morte como criação da vida, vai ouvir a música que casa tão bem com imagem, aquela que você fecha os olhos e entende tudo. A música sem letra que vale mais que mil palavras. Quem é que sabe e que segura a onda de acordar um dia depois do outro sem se isolar por duas horas do resto? Quem é que consegue passar segunda terça quarta quinta sexta, de 9 às 7, olhando o relógio com vontade de ir embora? Todos nós deveríamos ser animais nesse ponto: deu vontade, come, some, dorme, não importa aonde, não importa com quem.
Mas, que isso, somos todos muito civilizados. Eu dou bom dia e boa noite e faço questão de olhar nos olhos e sorrir pros outros, faço questão de ser simpática e agradável, faço uma questão enorme de ser aceita e aceitar os outros. Tão ridiculamente básico, essa necessidade de aceitação, tão sonolentamente previsível que eu rio por dentro.
Se existe alguém que, agora, esteja lendo todos os blogs do mundo e tenha vergonha disso; saia. Vai arrumar alguma coisa melhor pra fazer.

4 comments:

Anonymous said...

bom vou dar meu depoimento aqui, tomo 2 gramas de rivitril e 50 md de donarem, isso porque não conseguia dormir mais, eram sonos de 2 horas e irritação e desvontade com a vida.

depois que começei a tomar o rivotril junto ao donarem tb depois de 30 mintos , 1 hora, e como se realmente não existissem problemas, sensação é boa, e durmo o suficiente para achar a vida boa no dia seguinte, durante o dia fico sem remedio lógico, sedado so pra dormir.
mas de manha da uma preguiça e parece que meu dia começa só depois das 2 da tarde.
como não tenho alternativa melhor, continuo tomando o remedio, quando to muito ancioso ainda toma 3grams pra dormir, mas 1 vez a cada 20 ou 30 dias.

o duro é ser taxado de louco, coisa que eu não sou, mas minha vida antes era um caos de anciedade, dores no estomago, noites em claro e denanimo, coisa que não desejo a nínguem.

sei que é ilusão meu pensamento em largar o rivotril, e ter uma vida como eu tinha antes de aparecer a maldita insonia, mas prefiro viver assim por enquanto ter uma vida esfacelada pela insonia.

Rivs said...

Hello Dear,
Quantas declarações... Cá vem a mimha pra complementar.

Na minha adolescência e fase adulta não conseguia manter nenhum relacionamento. Era complicado fixar em apenas uma pessoa. Era ninfomaníaco e não sabia. Não passava um dia só sem transar com uma pessoa diferente. não importava se era mãe, filha, casada, parente... houve um tempo que isso passou a prejudicar o meu rendimento profissional. Era servidor público, trabalhava em uma sala com 9 mulheres. Já tinha recebido alguns "toques" sobre o comportamento. Transava com frequencia na sala de trabalho no horário do almoço... Assistia video pornô no horáiro de trabalho
em companhia das estagiárias... era uma putaria só.
A minha chefe sugeriu que buscasse ajuda e me levou em um psiquiatra. Ela relatou coisas que eu fique com vergonha...
Aceitei a ajuda médica e tomei Rivotril por 6 meses. Eu não era ligado à bebidas, mas, com a proibição do consumo a tentação de misturar o remédio com o alcool era grande. Acabava bebendo e potencializando os sintomas.

Admito que com o Rivotril Eu não tinha receio de dizer o que pensava. Pra mim era a droga do Foda-se. Pra mim tudo era Foda-se...

Anonymous said...

Realmente o zolpiden (stillnox) é um remédio revolucionário, tomo meio meia hora antes de dormir, e durmo muito bem, porém como qquer outro remédio ele me dá certa irritabilidade ao acordar, pelo menos na primeira hora do dia.
O que não se pode esquecer é que zolpiden é um indutor de sono, e clonazepan (rivotril) é um ansiolitico.
Sempre tenho uma caixa de rivotril guardada, mas tento usar sempre que necessário, tomando 1/4 de comp ou 3 a 4 gotas do liquido... não sejamos hipócritas, rivotril abaixa ansiedade sendo bem administrado, como qquer outra droga ele é perigoso se usado sem critérios.... bebam 1 garrafa de vodca inteira (alcool é droga pesada tb) e me digam como será o dia seguinte...

E.A. said...

É inacreditável como as pessoas nao conseguem interpretar um texto. Lindas e sensíveis linhas que descreveram a sensacao mágica e o poder de uma droga que parece resolver todos os problemas (como a maioria delas parece) se transformaram em centenas de depoimentos de usuários relatando prós e contras do uso crônico e até alguns ( suspeitamente sob efeito dela ou de alguma outra) consideraram o texto uma apologia e criticaram os rivs do rodapé. Bruna, espero de coracao que o presidente da sua firma nao "axe" nem "pence" muito, senao, rivotril me parece a única solucao...Parabéns pelo texto.
E.A.