Monday, May 15, 2006

O texto da menina mimada

Talvez você nunca entenda uma situação muito simples: que eu sou tão absolutamente sua que às vezes me comporto como uma marionete feliz e saltitante, governada pelas suas vontades. É verdade que isso você nunca pediu e nem nunca quis, e que mulheres-marionete estão fora da sua wishlist, mas eu não imaginava que fosse ser assim. Que mesmo quando tenho tudo o que sempre busquei nas mãos, eu me sentiria ainda tão incompleta. E, pior, cheia de questionamentos adolescentes e realidades irrealizáveis.

Ao longo dos anos me acostumei com a ausência, mas de vez em quando o medo volta. Eu me sinto sozinha e absolutamente incompreendida - afinal, é notório o quanto reclamo de barriga cheia. Eu sou feliz mas sou triste, entendeu? Tipo Vinícius de Moraes. Por isso a única coisa que pode me satisfazer neste exato segundo é que você coloque uma foto minha bem grande no meio da sua sala de jantar, e tome café e almoce e ceie e tudo o mais olhando para os meus olhos. Caso você não queira, pode esquecer: você não me ama, nunca me amou e não faz idéia do que seja ser uma marionete feliz, saltitante e, ao mesmo tempo, triste.

Agora, se você colocar a minha foto, vou precisar também de telefonemas carinhosos em quartos de hotéis cinco estrelas com camas kingsize vazias, ou de uma noite fria comendo fondue, ou de presentinhos fora de época e surpresas fofas e calóricas em caixas em formato de coração. E mesmo assim, pode ter certeza, eu continuarei triste.
A opção sempre foi sua, em qual dos caminhos seguir.

1 comment:

Bohemia said...

Espero que siga en el camino que estes tu, que no te vea como una marioneta, mejor que te mire a los ojos, pero no de tu retrato, si no frente a frente. Saludos