Tuesday, August 16, 2005

Sábados

Ai, que preguiça disso tudo de novo: pista enfumaçada, São Jorge sobre a porta e som ensurdecedor vindo dos quatro cantos do mundo. Acabei de acordar porque agora, no Rio, ou a gente tira um bom cochilo antes de sair à noite, ou tem que apelar para barbitúricos. Como eu já me considero velha demais para o delsumbramento adolescente das drogas, resolvo que dormir uma horinha à tarde é a minha alternativa. Mas que nada, esta foi uma péssima opção: chego no Dama de Ferro às quatro da manhã com a cara exata de quem acabou de acordar.

Lá em cima, pessoas estão se acotovelando, meninas muito magras seguram drinks rosas e formam-se almôndegas humanas remanescentes de 1997. Apesar de tudo, eu gosto daqui. Basicamente, o problema são as outras pessoas. As que me fazem bocejar. Me aproximo do bar para beber qualquer coisa e ouço a conversa ao lado (é que eu adoro ouvir a conversa ao lado. Não que seja uma questão de fofoca, mas sim de genuíno interesse no exemplar humano à primeira vista, antes de começar a sentir sono com comportamentos repetitivos):

- ... eu liguei pra ele e ele disse que vinha pra cá, ele tem uma namorada, mas a relação está mal das pernas, eu gosto dele mas ele não larga a namorada por mim, outro dia ele passou lá em casa e a gente começou a transar e no meio do sexo a namorada ligou, foi realmente muito constrangedor, mas eu não sei o que ele vê nela, ela é meio gordinha e se veste muito mal, ela nunca sai com ele, não gosta do tipo de música que ele gosta, daí ele fica sozinho por aí, todo interessante, dando sopa para as meninas que vão a bares gays e que têm pouca opção, ela pede mesmo pra ser corna, tadinha...

(Suspiro) Somos todos uns certinhos travestidos de modernos. Os preconceitos são os mesmos no Dama de Ferro ou no Bombar, só que aqui as pessoas usam mais piercings e ficam com outras do mesmo sexo. E é isso o que me dá sono.
Olho para o relógio: quatro e meia. Ainda é preciso resistir um pouco mais.

1 comment:

Claudio said...

Ol@ Bruna, não sabe como fiquei feliz em descobrir seu blog. Como sempre, continuo adorando ler seus artigos. Esse último achei ótimo. Irei visitá-la outras vezes.

Beijos, Claudio