Wednesday, January 14, 2009

Vovó Maria

Chego de férias seriamente individadoras na Espanha e recebo a notícia de que a minha avó morreu enquanto eu estava lá. Que sensação estranha que é você sair do país com sua avó viva e voltar ao país com a sua avó morta. Parece que é mentira, e que daqui a pouco vou pra casa dela comer doce de abóbora, e empada de queijo, e macarronada com molho de tomate. E ela vai reclamar que eu não uso maquiagem nem cuido do cabelo.

Desde que soube, não derramei uma lágrima.

O cruelmente irônico da história é que coloquei o ítem "visitar a minha avó uma vez por mês" na lista de resoluções de ano novo. Eu faço listas de ano novo, com dez ítens, e no correr do ano eu dou algumas olhadinhas na lista e coloco OK nos objetivos alcançados. E é ótimo dar o OK dos objetivos alcançados, porque dá a impressão de que você está andando pra frente, quando na verdade o que acontece é que a gente sempre anda pra frente, mesmo quando não quer.

Mas a minha avó nem conseguiu esperar eu colocar em prática as resoluções de ano novo, e partiu bem rapidinho, a tempo de não se tornar uma velha apática e dependente, que era tudo o que ela não queria da vida.

E agora eu não tenho mais avós, mas não faço dramas: aproveitei bastante das minhas, comi muito doce de abóbora, ganhei muito presente e muito colo, vi muitas fotos em preto e branco, ouvi muitas histórias - tive uma vida completa de neta, com tudo o que ela pode reservar.

3 comments:

Baxt said...

Ai ai... Isso me lembra os CDs que eu tinha meio roubados do meu tio, que eu sempre jurava que ia devolver. Aih ele morreu e eu olhei pros CDs e disse "nao tenho mais que devolver. Agora eles sao meus." Foi dificil.
Mas a vida eh assim, ne? Se a sua avo queria morrer sem ficar dependente, que bom :)

Massashi L. Hosono said...

Isso aê... bola pra frente. Ela merece que você viva a vida que ela te proporcionou. Sobretudo, não esqueça as lembranças. Jogue fora as contas.. mas nunca as lembranças.

adriana said...

Bruna, que saudades de você! Não sabia da sua avó...mas a vida é assim mesmo, não é? Ainda bem que você aproveitou o tempo que teve com ela. Ficam as boas lembranças!

Beijos!!